quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Doação de lança Farroupilha

Museu Julio de Castilhos recebe doação de lança Farroupilha na Solenidade Oficial de Abertura da Semana da Consciência Negra em Porto Alegre. Foto: Leandro Osório/ Especial Palácio Piratini.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

FERROVIAS EM PERSPECTIVA


O INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO RIO GRANDE DO SUL conjuga-se com o MUSEU JÚLIO DE CASTILHOS para cumprir um dos mais caros objetivos da política cultural do estado: transversalizar a informação cultural, oferecendo ao público a presente publicação de RAFAEL LAUERMANN. Nesta “Ferrovias em Perspectiva“, LAUERMANN destaca o transporte ferroviário como fator de integração e desenvolvimento econômico no Rio Grande do Sul, o que explicita no subtítulo. Apoiando-se em cuidada bibliografia, aborda o tema com clareza e naturalidade.

Discute os conceitos de logística e de transportes; historia o processo de implantação e desenvolvimento do modal ferroviário no mundo, no Brasil e, particularmente, no Rio Grande do Sul; destaca seus efeitos no fomento ao mercado interno e à urbanização e examina criticamente a decadência da estrada de ferro em nosso país, abandonada pelos poderes públicos, afastada das políticas governamentais que optaram pelo oneroso transporte rodoviário.
Traz à discussão os sistemas de garantia de juros e o de arrendamento por longo prazo, mecanismos que o Brasil, no Império e na República, utilizou para atrair investimentos internacionais para viabilizar o transporte ferroviário.
Revela como Santa Maria tornou-se o centro ferroviário do estado e como, entre nós, se sucederam as diversas etapas do transporte pelo “trem” entre 1866 e 1957 e passa em revista os sucessos posteriores, como a RFFSA, a débâcle e a privatização.
Com a leitura da obra justifica-se porque a ferrovia foi tomada pelo imaginário da sociedade como sinônimo de progresso e modernidade e porque o sonho da ferrovia permanece na alma popular.
Uma das preocupações de LAUERMANN, atento à profunda impressão que o transporte ferroviário causou no ânimo do brasileiro, foi discernir o que, na consideração deste modal, é construção do senso comum e o que é obra do aprofundamento científico e o faz tendo como fio condutor as pautas da reflexão crítica.
O Autor retoma os estudos da ferrovia no âmbito amplo da integração geográfica e desenvolvimento econômico e social do estado e se duas das mais antigas instituições culturais do Rio Grande do Sul paraninfam a obra é por ser dever de ambas estimular o estudo, as pesquisas e as discussões que tenham como objeto o processo histórico sul-riograndense e o labor de LAUERMANN insere-se nesses objetivos.
MIGUEL FREDERICO DO ESPÍRITO SANTO
PRESIDENTE DO IHGRGS

Abertura da exposição ISAURA E ADELINA - TRAJETÓRIAS DE MULHERES NEGRAS NA PORTO ALEGRE DO SÉCULO XIX (curadoria: Camila Ribeiro da Silva e Jane Rocha de Mattos)






terça-feira, 11 de novembro de 2014

"Isaura e Adelina – trajetórias de mulheres negras na Porto Alegre do século XIX”.

A exposição, com curadoria de Camila Ribeiro da Silva e Jane Rocha de Mattos a história de duas mulheres negras que viveram em Porto Alegre no século XIX, onde romperam com uma lógica imposta para uma maioria que sofria os desdobramentos do sistema escravista e patriarcal da sociedade brasileira. Adelina Lydia Bittencourt, professora formada pela Escola Normal no ano de 1889, e Isaura Dias Bittencourt, que frequentava os círculos da comunidade negra porto-alegrense, ligada às principais lideranças do jornal O Exemplo.
Cristina Camaratta Lins Bahia e Dinamara da Silva Prates participaram da abertura da exposição proferindo a palestra “Uma participação feminina e negra na redação  do jornal O Exemplo”. O evento contou com apresentação musical do Instituto Cadê Zumbí? , mm coletivo de agentes, multiplicadores e ativistas culturais no fomento e preservação das culturas como ferramentas pedagógicas de educação, sob a coordenação de Mateus Ceni de Oliveira. Também teve lugar uma intervenção artística do Coletivo Negração.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Museu Julio de Castilhos apresenta nova exposição




          Isaura e Adelina: trajetórias de mulheres negras na Porto Alegre do século XIX é a exposição que o Museu Julio de Castilhos inaugura na próxima terça-feira, 11 de novembro, às 19 horas, com entrada franca.
A mostra apresenta a história de duas mulheres negras que viveram em Porto Alegre no século XIX, onde romperam com uma lógica imposta para uma maioria que sofria os desdobramentos do sistema escravista e patriarcal da sociedade brasileira. Adelina Lydia Bittencourt, professora formada pela Escola Normal no ano de 1889, e Isaura Dias Bittencourt, que frequentava os círculos da comunidade negra porto-alegrense, ligada às principais lideranças do jornal O Exemplo.
Na abertura da exposição haverá uma intervenção artística do Coletivo Negração e do Instituto Cadê Zumbi?
As visitas podem ser realizadas de terça a sábado, das 10h às 17h.
O evento tem o apoio do Instituto Cadê Zumbi.
O Museu Julio de Castilhos fica na rua Duque de Caxias nº 1231.

O quê: Abertura da exposição Isaura e Adelina: trajetórias de mulheres negras na Porto Alegre do século XIX.
Quando: 11 de novembro de 2014
Horário: 19h
Onde: Museu Julio de Castilhos 1205.
ENTRADA FRANCA
Visitação: de terças a sábados, das 10h às 17h.
Maiores informações pelo fone: 3212 9035.
E-mail: museujuliodecastilhos@gmail.com

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Teatro no Museu


UM DIA ASSASSINARAM MINHA MEMÓRIA
Até 23 de novembro, de sextas a domingos
ENTRADA FRANCA